A cervicalgia é a dor localizada na região posterior do pescoço e região superior das escápulas. Ela pode ser crônica, quando dura várias semanas ou aguda, quando dura alguns dias. A sua forma mais conhecida é chamada de torcicolo. Esta condição pode até parecer boba, mas afasta muitas pessoas de suas atividades rotineiras, como trabalho, academia e horas de lazer.
⠀ 🔎 Em especial quando a doença se torna crônica, a avaliação de um fisioterapeuta é fundamental. Com a análise clínica, o profissional consegue traçar um diagnóstico e plano de tratamento apropriado.
Normalmente, a avaliação é composta pela anamnese e pelo exame físico, que inclui uma estudo postural, dos movimentos da coluna, palpação de pontos dolorosos, testes específicos para a coluna cervical e uma análise neurológica analisando os reflexos, a força muscular, a sensibilidade e o comportamento da dor.

📍 Além da fisioterapia, outro tratamento recomendado para quem sofre com a cervicalgia é o pilates. Assim como nas sessões com o fisioterapeuta, esta atividade física tem o objetivo de fornecer ao paciente consciência postural, alívio da dor, mobilidade, controle neuromuscular dos músculos estabilizadores, mobilidade articular e muscular e fortalecimento muscular para estabilizar e dar resistência à fadiga.

Por que o pilates pode fazer tanta diferença no tratamento da cervicalgia❓
Esta atividade física trabalha com a estabilização e mobilização da coluna, melhorando a sua função nervosa e vascular. Além disso, corrige a postura, organizando a cabeça e o pescoço e aprimorando a consciência corporal e diminuindo o risco de lesões e recidivas. O pilates também melhora o ritmo escapulo-umeral, corrigindo movimentos compensatórios e diminuindo assim a sobrecarga na região cervical.